terça-feira, outubro 14, 2014

Um Olhar Sobre Simango

Há horas que estou aconchegadamente entalado entre dois colegas no banco de trás de um quatro por quatro adornado com bandeiras esvoaçantes do partido, pelo menos o ar condicionado está a funcionar. O carro serpenteia por uma estrada de areia batida na província do Niassa levantando a poeira vermelha que quando se entranha na roupa não sai nem depois de lavar. Que calor, e nem sequer começou o verão! Mesmo assim as crianças vêm a correr ter connosco, surpreende-me sempre o eterno bom humor com que Daviz Simango cumprimenta a população, mesmo depois de mais de um mês intenso de campanha política, noites mal dormidas e viagens desconfortáveis por estradas esburacadas e apoiantes da Frelimo tentando sabotar o seu trabalho a cada cruzamento.
O meu trabalho consiste em acompanhar o candidato como jornalista, documentando a sua campanha do Revuma ao Maputo numa caravana. Daviz Simango fez a maioria da campanha por terra no seu carro e noutras alturas de boleia de mota como quando atravessa-mos a ponte Dona Ana sobre o rio Zambeze a caminho de Mutarara onde apoiantes do partido govermental bloquearam a passagem do candidato do MDM.
Tenho vergonha de admitir que senti vertigens ao passar aquela ponte, enquanto não muito longe Daviz Simango subia numa mota com um sorriso nos lábios e muita confiança.
É esse sorriso amigável ao fim de cada dia que me faz acreditar que não devia estar em mais outro lugar no mundo a não ser aqui, a percorrer o meu Moçambique ao lado de um candidato presidencial em quem realmente acredito!
A primeira vez que vi o Candidato Daviz Simango foi em 2012 durante um congresso onde os delegados do partido que formam a delegação nacional foram eleitos para cada província. De acordo com a política do MDM cada delegação provincial tem de ter 20% de jovens e 20% de mulheres. Quando os delegados da primeira província se apresentaram não tinham nenhuma mulher na sua comitiva, fiquei impressionado coma reação de Daviz Simango que os mandou voltar para trás e retornar quando tivessem a cota mínima de representantes mulheres e jovens.
Pequenos imprevistos e problemas na votação fizeram com que o congresso se alarga-se pela noite dentro. Depois de ceder ao cansaço e dormitar um pouco usando o casaco do meu fato como almofada, acordei para me deparar com o Daviz Simango de boné de camionista sentado ao seu computador teclando pacientemente. A sua perseverança e gosto pelo trabalho foram as qualidades que mais me chamaram a atenção durante o congresso e foi naquela madrugada rodeado de companheiros adormecidos, verdadeiramente “the last one standing” que me senti verdadeiramente inspirado. Realmente só com esforço e sacrifício se pode mudar um partido, um país, uma forma de viver. Por isso este ano, quando surgiu a oportunidade de acompanhar Daviz Simango na sua campanha eleitoral não resisti e fui à aventura! Muito poucas pessoas têm a oportunidade de conhecer Moçambique por inteiro e muito menos na companhia de alguém por quem têm tão grande admiração como eu tenho pelo candidato.
Ao contrário do que muitos julgam a campanha eleitoral do candidato Daviz Simango consiste de muitas noites mal dormidas, horários trocados e refeições que consistem em meia lata de atum, pão, uma garrafa de água e um refresco, e um jantar que nunca sabemos a que horas será.
Tenho que admitir que isto também se dá ao facto de ter um estômago fraco que nestas viagens não aguenta muito mais que umas bolachas de água e sal. Ainda no mês passado, depois de um dia muitíssimo longo que começou as 6 da manhã e só à meia noite é que me pude refastelar num sofá do hotel mas ainda com trabalho para fazer. Já de olhos semicerrados tentava editar a fotografias do dia, quando de repente vi pelo canto do olho uns chinelos que se aproximavam, para minha grande surpresa era o candidato Daviz Simango que com certeza estava mais cansado que todos nós mas ainda assim se preocupou em perguntar como tinha corrido o meu dia. Mas assim é Daviz Simango, sempre com uma palavra amiga. À medida que a campanha se aproxima da meta final cada vez mais sinto que a decisão de acompanhar o representante do MDM, Daviz Simango foi uma boa decisão. Pois tive o privilégio de conhecer o homem por detrás do candidato. Um homem de grandes planos para o país mas de uma simplicidade refrescante, um líder forte mas um pai carinhoso. Daviz Simango é um homem do povo para o povo.

"Por Michel Olofsson"

0 comentários: