quarta-feira, outubro 15, 2014

Eleições 2014



MAPUTO: Centenas de eleitores que queriam votar na EPC de São Dâmaso, foram instruídos a regressarem às suas casas porque não existem cadernos com seus nomes. Tal aconteceu nas mesas: 09, 10 e 21. Ninguém sabe dizer onde estão os cadernos. Tal situação verifica-se em muitas outras mesas, como foi o caso da EPC Patrice Lumumba na Matola, onde os eleitores que deviam votar na mesa 3011 foram instruídos a irem para as suas casas.
QUELIMANE: Neste momento (14 horas e 45 minutos) dois camiões e um Land Cruiser transportando aproximadamente 100 agentes da FIR fortemente armados e com máscaras e capacetes acabam de passar a zona de Sampene em direcção ao centro da cidade de Quelimane. Não se conhece o propósito!
Estão detidos quatro membros da Renamo no Distrito de Tsangano, por terem impedido a entrada na sala de urnas com votos, já votados a favor do partido Frelimo e se candidato. Quando os Delegados da Renamo se aperceberam pediram explicação ao presidente da mesa, mas, este tratou de chamar a Policia, que prendeu os delegados da Renamo. Enquanto isso, os membros da Renamo eram levados pela polícia mais urnas com votos entravam para a sala. A população quando viu a fraude, tratou de pegar as urnas e queimou-as. A polícia teve de regressar e está neste momento a disparar contra a população. Neste momento, a votação foi interrompida. Tsangano e Changara são os os satélites da fraude da Frelimo. Nas eleições gerais passadas, Guebuza ganhou em todas as mesas, mas o número de votos era superior ao número de eleitores. Ou seja: houve enchimento de urnas.
BEIRA: Encontrado um cidadão com mais de seis urnas no populoso bairro da Munhava. O Chefe das Operações do STAE diz que não conhece o cidadão e que o mesmo não devia estar lá. O cidadão escapou a um linchamento. O referido cidadão, que estava acompanhado por uma mulher que fugiu, diz que foi mandado pelo Director do STAE para transportar as urnas. A população exige medidas para o "transportador de urnas".
TETE: A mineradora brasileira VALE decidiu violar a tolerância de ponto decretada pelo Ministério do Trabalho, para o dia de hoje, quarta-feira, 15 de Outubro, para que os trabalhadores moçambicanos possam exercer o direito de voto. A empresa obrigou todos os trabalhadores a comparecerem aos seus postos de trabalho. Assim os mais de 200 trabalhadores não poderão votar. A Direcção Provincial de Trabalho confirma o caso e diz que já enviou uma brigada à empresa Vale.
ANGOCHE: Na Assembleia de voto que funciona na Escola Secundária de Angoche em Nampula, ainda não existem as mesas de votos desde 510, 511, 512, 513, 514, 515, 516 e 517. Há troca de cadernos eleitorais. O administrador local levou uma hora para votar porque o caderno que tinha o seu nome não estava lá.
Ilha de Moçambique – EPC Namicote – Mesa de votação 030111004 – Polícia fere um eleitor a tiro que tentava votar pela segunda vez. Este acto ocorreu quando este tentava incitar uma fuga após ser descoberto.
EPC – Eduardo Mondlane – Chicualacuala – Decorre a votação sem editais de contagem de votos em todas as mesas de votação.
Urnas clandestinas foram encontradas no carro de um agente da polícia em Quelimane com a chapa de matricula PRM 00313.Interpelados pela população, a polícia entregou as urnas a dois cidadãos estranhos que as transportaram em dois carros que continham a chapa de matricula ACU 173 MC e ADJ 481 MC.
Assembleia de Voto 501 e 502 os MMVs só 8horas e as mesas abriram às 8h30, e por sua vez os eleitores começaram a votar às 9horas – Namaacha.
EPC de Monapo - Nacala Velha - foram enviados boletins de voto sem a devidas urnas, os eleitores que estiveram lá pelas primeiras horas da manhã abandonaram o local.As urnas só chegaram quando eram 10:15 minutos.
Presença da polícia na porta da mesa de votação: Distrito de Quissanga – Posto Administrativo de Bilibiza – Aldeia 19 de Outubro-
Foram interpeladas duas viaturas com chapa de matrícula MMM 35 43 e AAC 303 MP com dizeres do partido Frelimo e seu candidato na Escola EPC de Manhiça.
Porta-Voz da CNE, Paulo Cuinica apela aos Presidentes das mesas para deixarem entrar os Delegados de Candidatura, mesmo sem as credenciais. A falta de credenciais para os delegados regista-se com todos os partidos.
Em vários postos de votação na Cidade de Maputo, muitos delegados de lista não possuem credenciais para o efeito e não podem entrar no posto de votação. Esses casos estão a acontecer com todos (3) partidos, nomeadamente Renamo, Frelimo e MDM.Exemplo: Bairro das Mahotas – EPC Hulene – Mesa 11006902.
Na Cidade de Nampula e Maputo Cidade o processo de credenciação já encerrou e muito pedidos de várias organizações da Sociedade Civil não foram atendidos, razão pela qual há muitos observadores sem credenciais.
MAPUTO: Com as informações de tentativas de fraude a aumentarem, Afonso Dhlakama já regressou à Escola Secundária da Polana para vigiar o seu voto, tal como prometeu de manhã. Está na sua companhia, o membro da sociedade civil e Reitor da Universidade APolitécnica, Lourenço do Rosário.
(fonte: Parlamento Juvenil que está a realizar observação eleitoral em todo país, com cerca de 2000 observadores)

0 comentários: