terça-feira, outubro 07, 2014

"Pré-votados"

Em conferência de impressa havida ontem (6), o presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE), Abdul Carimo, confirmou o roubo do material de votação. Ao todo despareceram 26 kits, dos quais 25 estavam destinados ao distrito de Pebane e um ao distrito de Namacurra na província da Zambézia. Cada kit contém 880. Em termos numéricos desapareceram 22.800 boletins. São até então desconhecidos os autores do extravio do material e as causas. Segundo Carimo, o motorista e os dois agentes não obedeceram as normas de segurança que consistem em “estacionar e pernoitar nos comandos da polícia ou nas esquadras”. “Tendo pernoitado numa zona sem segurança aperceberam-se, no dia seguinte, que o camião teria sido assaltado”, explicou Carimo.Num outro desenvolvimento, Carimo explicou que os 26 kits desaparecidos não serão usados em nenhuma outra circunstância fora dos distritos de Pebane e Namacurra, porque “o material produzido vem endereçado com o código da mesa da assembleia de voto, o posto de votação e respectivo distrito.Em consequência do desaparecimento dos boletins de voto, o presidente da CNE diz que serão produzidos novos boletins, com novas especificações, designadamente, nova cor, diferente da dos boletins extraviados, e novos códigos. Abdul Carimo fala da destruição dos restantes boletins de voto para Pebane, na presença da imprensa e dos mandatários dos partidos políticos. Sobre o kit de Namacurra serão, apenas, reproduzidos novos boletins com as novas especificações, sem no entanto haver a necessidade de destruição dos boletins, pois “um único kit segundo Carimo “não fará diferença”. A reprodução do novo material não afectará a data da realização das eleições, nem acarretará custos ao Estado visto que é responsabilidade da entidade que produz (na África do Sul) os boletins e faze-los chegar ao destino. 
Dois agentes da Polícia da República de Moçambique e o condutor do camião-cavalo, da empresa “Lalgy”, que transportava mais de 20 mil boletins de votos, que foram roubados, encontram-se detidos na primeira esquadra da PRM em Manica, acusados de terem violado as urnas e substituído os boletins de voto já assinalados. A informação foi confirmada pelo comandante da PRM em Manica, Timóteo Bernardo, que não revelou o nome de partido a favor do qual os boletins já haviam sido pré-votados. O material era destinado ao distrito de Pebane, na Zambézia. Parte do material encontra-se retido no Inchope, por suspeita de violação do respectivo selo de segurança.A Polícia confirmou as detenções, mas apenas divulgou o nome do motorista do camião, que se chama Augusto João, curiosamente de nacionalidade zimbabweana, segundo as autoridades. (J.Jeco)

0 comentários: