terça-feira, outubro 14, 2014

Senhores jornalistas, 
Atravês de vós, a Resistência Nacional Moçambicana, saúda a cadamoçambicana e moçambicano.
As últimas horas têm sido de reflexão em torno do processo eleitoral que foi antecedido de 45 dias de intensa actividade de campanha. Se por um lado, lamentamos que nalguns pontos da Província de Nampula registaram-se confrontos entre partidários de A e B, B e C ou A e C, por outro apelamos para que a resposta policial, doravante, sirva para educar o eleitor e não tratá-lo como inimigo a abater. 
A Polícia da República de Moçambique deve promover a paz e tranquilidade em cada Assembleia de Voto e oferecer segurança a cada cidadão.
Sob pretexto de respeitar o voto especial que nenhum quartel, caserna, local de culto, ministério, residência de particulares ou outro lugar diferente das mesas de voto previamente estabelecidas seja usado para fins de votação. 
Recomendamos aos cidadãos eleitores a irem todos votar, um direito Constitucional. 
Apelamos aos cidadãos eleitores a formarem filas ordeiras para facilitar a votação, mantendo-se serenos, mas sempre vigilantes.
Que nenhum cidadão aceite bebibas alcóolicas, estupefacientes para promover desordem no dia da votação eleitoral.
Apelamos aos gestores da empresa pública Electricidade de Moçambique para garantirem o pleno fornecimento de corrente eléctrica a nível nacional para que nada obstrua o processo de votação, contagem e apuramento dos resultados eleitorais. 
Apelamos aos órgãos eleitorais a garantir que todas as Mesas de Voto tenham todo o material necessário para o processo eleitoral decorrer normalmente. 
Apelamos a Força de Intervenção Rápida e a PRM a obedecerem e se conformarem com a Constituição e com a Lei Eleitoral em particular. O ponto mais alto da Democracia é aquele em que o povo tem a liberdade de eleger os seus representantes. Esse direito Constitucional não pode ser negado por nenhum agente das forças de Defesa e Segurança moçambicanas.
Que os Observadores Eleitorais Nacionais e Internacionais procedam a uma observação eleitoral plena, criteriosa, honesta, isenta, transparente, responsável e presencial. 
Que os órgãos de comunicação social públicos e privados agarrem-se ao compromisso de cobrir as eleições com objectividade, imparcialidade, neutralidade levando para o país e para o mundo a verdade. 
Boa sorte a todos os candidatos e partidos concorrentes. 
O voto é secreto. Exerça o seu direito lúcida e tranquilamente.
Cada Voto Conta.
Por eleições justas, transparentes e livres de violência.


Nampula, 14 de Outubro de 2014.
(MENSAGEM DO GABINETE CENTRAL DA RENAMO - NAMPULA PARA O DIA 15 DE OUTUBRO DE 2014)

0 comentários: