sexta-feira, junho 06, 2014

Uma candidatura com um caminho sinuoso

O candidato presidencial do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), Daviz Simango, formalizou na tarde de quinta-feira(5), junto do Conselho Constitucional, em Maputo, a sua candidatura para as eleições de 15 de Outubro próximo. A candidatura foi apoiada por 19.060 assinaturas. No fim do processo, o candidato do MDM e presidente daquele partido descreveu o processo que antecedeu a oficialização da sua candidatura como tendo sido “sinuoso.”
“Foi um processo extremamente sinuoso”, disse Daviz Simango a jornalistas, instantes depois de apresentar a candidatura.  O MDM já apareceu publicamente a queixar-se de detenções dos seus membros pela PRM, durante o processo de recolha de assinaturas. Pouco tempo depois, sob ordens da ministra da Justiça, Benvinda Levi – que se despiu das vestes de governante e vestiu a “t-shirt” do partido Frelimo – os Serviços de Registos e Notariado, através duma circular com referência 6/MJ/DNRN/05/2014, passaram a exigir reconhecimento presencial aos partidos políticos, mas tal medida nunca foi aplicada para o reconhecimento das assinaturas dos apoiantes do candidato do partido da ministra. 
Daviz Simango afirma que essa manobra não parou a vontade de vencer. “A vontade de vencer garantiu que, no dia de hoje, pudéssemos cá estar para fazer o depósito.” Simango torna-se, assim, o segundo candidato a apresentar no Conselho Constitucional o expediente de candidatura, depois de Filipe Nyusi ter feito o mesmo na semana passada. Por força da medida (por lei) dos Serviços de Registos e Notariado, a Renamo e outros partidos da oposição ainda não oficializaram as suas candidaturas junto do Conselho Constitucional. Questionado sobre as expectativas das eleições que se avizinham, Simango respondeu: “Como deve imaginar, nas eleições anteriores concorremos cinco meses depois da constituição do partido, e agora tivemos mais tempo para trabalharmos. A nossa expectativa é tornar ‘Moçambique para Todos’ uma realidade na República de Moçambique.”O processo de apresentação de candidaturas começou em 24 de Fevereiro e encerra em 21 de Julho, segundo a deliberação do Conselho Constitucional no 1/CC/2014, de 20 de Fevereiro. (André Mulungo)

0 comentários: