terça-feira, junho 03, 2014

Acontece a qualquer passageiro

O avião presidencial que deveria transportar o chefe de Estado Moçambicano  à República Irlanda avariou minutos antes de iniciar o voo. O Presidente Armando Guebuza viu-se na contingência de abandonar o avião e acabou por seguir viagem num voo comercial para África do Sul, de onde fez ligação para europa, duas horas depois. O Chefe de Estado foi  informado pelo comandante da aeronave que o avião não estava em condições para efectuar o voo que ligaria Maputo áquele país europeu e sem escalas. O Presidente teve de sair da base aérea e esperar o voo diário das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) no aeroporto Internacional de Maputo. Sabe-se que o despacho operacional, uma rotina quando se trata de um voo presidencial, horas antes, após o teste, indicava que o avião estava em condições. Não houve até ao momento qualquer esclarecimento técnico. O porta-voz do Governo Alberto Nkutumula falou de “falha técnica que aconteceu e foi detectada na hora”. 
A Presidência da República não tem avião próprio e as deslocações dentro do país e para o estrangeiro são feitas em aeronaves executivas alugadas a empresas na África do Sul.O antigo Presidente Joaquim Chissano fazia as suas viagens internas a bordo dos aviões das Linhas Aéreas de Moçambique e para o estrangeiro sujeitava-se a escalas técnicas e de trânsito de companhias comerciais. Samora Machel , o primeiro Presidente de Moçambique alternava as suas viagens internas e para o exterior usando os aviões da LAM de longo curso ou um Topolev de fabrico russo ao serviço da presidência(despenhamento em 1986 que o levou a morte).O actual chefe de Estado,Armando Guebuza, face a avaria do jacto presidencial,realizou ontem (2)em dêz anos de Governação a sua primeira viagem a bordo de um avião da companhia aérea nacional.

0 comentários: