sexta-feira, junho 06, 2014

Requalificar valorizando o histórico-cultural

O Conselho Municipal da Cidade de Maputo (CMCM) garante que o Plano Parcial de Urbanização para a Requalificação da Baixa da Cidade Maputo não vai afectar todos os edifícios com alto valor histórico. A garantia foi feita ontem, em Maputo, durante uma audiência sobre o plano que será estabelecido no quadro da execução do PROMAPUTO II, cujo horizonte é de 2007/2015.“Há edifícios que ainda vamos decidir se serão modificados ou não. Entretanto, existem os que poderão ser remodelados apenas no seu interior. Não vou revelar quais”, referiu o consultor do Plano, João Tique.Prevê-se que o plano seja concluído até Dezembro do ano em curso, esperando-se, posteriormente, que se aprove pelo município de Maputo, a Assembleia Municipal e o governo central, através do Ministério da Administração Estatal (MAE).Por isso, o vereador de planeamento urbano, Luís Nhaca, acrescentou que “a partir deste plano podemos agregar projectos e programas que podem ser integrados nos nossos planos de actividades para a sua implementação”, disse.
 O plano prevê, de entre vários pontos, a indicação das terminais de transportes na baixa da cidade, associada ao comércio informal.O plano visa, sobretudo, a identificação de um conjunto de intervenções integradas que possam promover a multifuncionalidade, a valorização do património histórico-cultural, o aumento de actividades sociais, económicas e recreativas, na perspectiva de a capital do país ser cada vez mais atractiva e competitiva.Constam ainda como outras prioridades do plano, a reintrodução da componente residencial, através da oferta de instalações de alta densidade habitacional, a par da recuperação e preservação da integridade histórica do património, sem descurar a melhoria da mobilidade urbana e a definição de um sistema adequado de transporte público.


0 comentários: