quarta-feira, maio 07, 2014

Zona Franca Industrial de Mocuba

O antigo complexo agro-industrial, Têxtil de Mocuba, na província central da Zambézia, será transformado num parque industrial em regime de zona franca, no quadro de um grande projecto que levou o governo a estabelecer também, naquela região, uma zona económica especial.Para o efeito, o Conselho de Ministros, reunido hoje na sua 14ª sessão ordinária, aprovou dois decretos sendo um que cria a Zona Franca Industrial de Mocuba, e outro que estabelece a Zona Económica Especial de Mocuba.
O desafio, segundo o porta-voz do governo, Alberto Nkutumula, é de garantir o aproveitamento integral das potencialidades existentes na região.A criação destas zonas foi antecedida de um estudo com o objectivo de fazer diagnóstico da actual situação da zona, mapear as principais potencialidades, entre outras informações, tendo se chegado a conclusão de que há condições para o efeito.“São áreas destinadas sobretudo a empreendimentos orientados à produção de bens essencialmente destinados à exportação”, explicou Nkutumula, vincando que pelo menos 70 por cento dos bens ali produzidos serão para a exportação.Este complexo agro-industrial de Mocuba, segundo a fonte, tem infra-estruturas como armazéns, fábricas, estação de captação e tratamento de água, 115 casas para trabalhadores, entre outras infra-estruturas. Com a sua conversão em parque industrial prevê-se que sejam criados cerca de dois mil novos postos de emprego.“Vai haver indústria de montagem de diversas componentes de agro - processamento e têxtil, bem como outros serviços de indústria alimentar”, explicou.Nkutumula disse que haverá uma maior possibilidade de as pequenas e médias empresas se juntarem a esse grande empreendimento para se dedicarem a produção de bens para a exportação.“Na área de agro - processamento, por exemplo, os produtores de gergelim deverão vender o produto às grandes indústrias que poderão processá-lo, ao invés de exportá-lo em bruto, de forma a assegurar uma mais-valia para o país”, disse.Relativamente a Zona Económica Especial, que ocupa uma área de 10.727 km2 e uma população de mais de 360 mil habitantes, abrange os distritos de Mocuba, e o posto administrativo de Munhamade, no distrito de Lugela. Nesta área, segundo as pesquisas feitas, existem concessões florestais e mineira, bem como títulos de aproveitamento de terra individuais e comunitários.“Em termos os de potencialidades, temos recursos florestais e solos férteis, produção pesqueira em água doce, condições para a prática de agricultura, havendo regadios com potencialidade para a produção de arroz.
Há também condições para o gado bovino e potencialidades turísticas, para o projecto do porto de Macuze que está numa perspectiva muito avançada”, disse Nkutumulo. Pretende-se com a Zona Económica Especial de Mocuba a atracção e fomento de investimento directo nacional e estrangeiro, incremento da produção industrial diversificada e voltada para a exportação e, em suma, promover o desenvolvimento económico. O antigo complexo agro-industrial, Têxtil de Mocuba foi projectado na década de 80 pelo falecido Presidente Samora Machel com o apoio técnico da então República Democrática Alemã. A infraestrutura construída ocupa uma área equivalente a 15 campos de futebol e nunca chegou a funcionar devido a guerra movida pela Renamo, afectando a montagem de centenas de teares entretanto danificados pela chuva e sol no porto de Quelimane (capital da provincia da Zambézia.)

0 comentários: