sexta-feira, maio 23, 2014

Instem a Renamo a deixar as armas



O presidente da Republica, Armando Guebuza, apelou, esta sexta-feira (23), à sociedade civil para que convença a Renamo, maior partido da oposição no país, a baixar as armas e a voltar à mesa das negociações com o governo.«Penso que a sociedade civil vai ajudar-nos a mobilizar a Renamo», disse Armando Guebuza num comício em Chókwè, no início da presidência aberta na província de Gaza, no sul do país.Segundo o chefe do Estado, os moçambicanos irão ajudar nessa ação porque vão «perguntar» a Renamo porque «usam as armas, porque não querem conversar para resolver o problema».Guebuza reiterou, ainda, a disponibilidade do governo para dialogar e instou a Renamo a ouvir o povo, «porque todos almejam a paz». 
Entretanto o  líder da Renamo, Afonso Dhlakama, disse na manha de hoje(23) a jornalistas, que quer sair da Gorongosa, para começar a organizar as actividades do seu partido e envolver-se no processo eleitoral. Mas diz que não o pode fazer porque Guebuza mandou concentrar tropas da FIR e a FADM com ordens para matar.Numa conferência de imprensa bastante concorrida feita por telefone e que teve lugar na sede da Renamo em Maputo, Dhlakama disse não compreender a perseguição que Guebuza ordenou. "Eu sou líder de um partido, sou moçambicano e tenho meus direitos de eleger e ser eleito, por isso quero vir organizar o meu partido. O Nyusi e os outros líderes já começaram a andar pelo País e eu quero fazer o mesmo".Dhlakama deixou claro que não tem medo da Frelimo e que “hoje mesmo chegaria a Maputo” só que segundo ele, a Frelimo vai disparar “e se eu responder poderá destruir-se tudo, o que seria mau para o País" disse.

0 comentários: