terça-feira, maio 13, 2014

Unidade nacional é um valor sagrado

A UNIDADE nacional é um dos valores sacrossantos e estruturantes da acção do Partido Frelimo, desde a sua génese como instituição política, afirmou ontem o Presidente Armando Guebuza na abertura da I Sessão Extraordinária do Comité Central que decorre na cidade da Matola, província de Maputo. Caracterizando-a como um dos segredos e condimentos da garantia das sucessivas vitórias do partido no poder, Armando Guebuza disse que a unidade nacional é o valor que alimentou, dinamizou e emancipou os moçambicanos como homens e mulheres resolutos à busca da liberdade e independência. Como prova maior da sua grandeza, segundo o Presidente da Frelimo, é que no fervor do nacionalismo, nem mesmo as prisões arbitrárias da sanguinária PIDE impediram que os moçambicanos sonhassem e idealizassem um país livre e independente.

“Ainda que presos e torturados, ainda que sob as sevícias dos verdugos dessa tenebrosa PIDE, nas nossas mentes nós já nos sentíamos livres e agíamos como tal. Por isso, os nossos sonhos de liberdade e independência nunca foram encarcerados. Muito pelo contrário, eles transformaram-se em escolas e viveiros da nossa crença num Moçambique livre e independente”, disse, acrescentando que exactamente onde era suposto os moçambicanos se sentirem oprimidos, nasceu a consciência de que valia a pena resistirem e continuarem a lutar por Moçambique.
Armando Guebuza considerou a unidade nacional hoje como a mais importante bandeira, o estandarte galvanizador da luta que os moçambicanos travam contra a pobreza e pelo desenvolvimento social e económico do seu país. É com a unidade nacional que os moçambicanos se sentem cada vez mais irmãos e irmãs, livres de fixar residência em qualquer canto do país, donos das riquezas com que o país é abençoado e estão prontos ao trabalho. Neste contexto, afirmou o Presidente do partido no poder, a unidade nacional é o maior ganho dos moçambicanos.
“Foi-o no passado, é-o no presente e sê-lo-á no futuro”, garantiu Armando Guebuza, acrescentando que a Frelimo se orgulha de ser uma força política muito abrangente, inclusiva e representativa de todos os moçambicanos.

A I Sessão Extraordinária do Comité Central da Frelimo vai aprovar em definitivo a versão final do manifesto eleitoral do partido e do seu candidato para as eleições de 15 de Outubro, depois de os quadros terem avançado as suas contribuições. Vai ainda aprovar as directivas sobre a eleição de candidatos a deputados da Assembleia da República e sobre a eleição de candidatos a membros das assembleias provinciais. Sobre aqueles instrumentos, Armando Guebuza exortou a todos os membros do Comité Central a expurgarem todas as imperfeições, ambiguidades e subjectivismos para que tudo o que for neles plasmado esteja claro e não haja espaço para quem queira subverter a sua letra e espírito. Depois de aprovados, segundo o Presidente da Frelimo, não se deve permitir que o tribalismo, racismo, regionalismo ou grupos de interesse contrários à unidade nacional e à coesão interna os ponham em causa.

0 comentários: