segunda-feira, junho 27, 2016

Perigoso mante-las!!!!

Duas unidades sanitárias privadas foram encerradas pelas autoridades de Saúde da cidade de Maputo, por não reunirem condições mínimas para o seu funcionamento. A Directora de Saúde da Cidade de Maputo, Alice de Abreu, explicou que as irregularidades eram graves e não havia como eles continuarem a trabalhar. Orientamos que deveriam fechar e melhorar as condições das infra-estruturas e garantir que o pessoal que está lá a trabalhar tenha carteiras profissionais actualizadas. Depois podem solicitar uma vistoria para reabrirem os hospitais.
Abreu, que se escusou a revelar nomes, referiu que as anomalias foram detectadas durante os trabalhos de supervisão e inspecção levadas a cabo pelo sector ao longo do presente semestre.
Resultado de imagem para clinicas maputoEstes e outros aspectos atinentes ao funcionamento das unidades sanitárias privadas levaram as autoridades sanitárias a reunirem-se em Maputo, com os responsáveis dos 205 estabelecimentos de saúde privados, entre postos médicos e hospitais, cadastrados até então na cidade de Maputo.Durante o encontro, de um dia, foram ainda analisadas as normas de gestão do lixo hospitalar e regras de incineração, em função do tipo que é produzido. Observaram igualmente os resultados das visitas de supervisão e de apoio técnico realizadas pela Saúde às unidades sanitárias privadas.
Temos consciência de que a gestão imprópria do lixo hospitalar é um risco para a saúde. Por isso, quando visitamos as unidades sanitárias pedimos facturas ou recibos para comprovar que todo o lixo produzido foi destruído de forma apropriada. A não apresentação deste comprovativo é passível de uma sanção”, disse Abreu.

Os encontros entre as autoridades de Saúde e responsáveis de unidades sanitárias privadas acontecem duas vezes ao ano.

0 comentários: