sexta-feira, julho 10, 2015

Presidente reune com investidores portugueses

O Presidente da República, Filipe Nyusi, manifestou  em Maputo, o seu apreço com um grupo de 12 empresas portugueses que se distinguiram em Moçambique, cujo investimento global ascende a mais de um bilião de dólares, gerando mais de 44 mil postos de trabalho. Este grupo inclui o Novo Banco, Grupo Visabeira, Grupo João Ferreira dos Santos, Mota Engil África, Comissão Executiva da Caixa Geral de Depósitos, Soares da Costa, Millennium BCP, Contact, Portucel, Galp Energia, Grupo Entreposto e Teixeira Duarte.Este reconhecimento teve lugar durante um jantar com os representantes deste grupo de empresas e que também tinha por objectivo incentivar a manutenção do seu investimento em Moçambique e reafirmar a abertura do Governo moçambicano ao investimento externo, particularmente português.
Resultado de imagem para moçambique portugal“Vocês são os campeões na promoção do investimento em Moçambique. Gostaríamos de reafirmar que estamos disponíveis para o investimento, esperamos que as vossas empresas continuem a investir no país”, disse Nyusi, numa clara manifestação de apreço a este grupo de empresas.“O vosso papel tem sido importante na edificação da nossa economia, pois, o vosso investimento torna mais robusta a economia do país, através da criação de emprego e do estabelecimento do bom ambiente de negócios. Queremos trabalhar”, acrescentou Nyusi.O encontro, que contou com a presença do embaixador de Portugal acreditado em Maputo, José Duarte, tinha também em vista preparar a visita do Presidente moçambicano àquele país europeu, onde deverá manter contactos com outros empresários que operam nos vários ramos de actividade. Falando durante a cerimónia, o diplomata português explicou que este grupo de 12 empresas tenciona manter o seu investimento em Moçambique enquanto as portas do país se mantiverem abertas para o efeito.“Boa parte dos que aqui estão se estabeleceu no mercado moçambicano já há um bom tempo. Através das suas empresas já criaram mais de 44 mil postos de trabalho no país e investiram quase mil milhões de dólares. Reiteramos ao Presidente da República que pode e deve contar connosco para acrescentar o investimento”, sublinhou Duarte. Um dos maiores investidores portugueses no sector automóvel em Moçambique, Pedro Palhinha, Presidente do Conselho de Administração do Grupo Entreposto, disse que o empresariado pretende manter sempre que possível o contacto com o Presidente da República, bem como estar a par dos seus objectivos e metas para desenvolver o país.
Resultado de imagem para moçambique portugal“Gostávamos de poder aproximar, sempre que possível, ao PR para perceber quais são os seus objectivos de governação e entender como ele olha para o investimento. Nós já investimos no país cerca de 200 milhões de euros e queremos continuar a investir no país.Acrescentou ainda que o maior consumidor das viaturas disponíveis na sua empresa é o governo, seguido pelas empresas e em última estância o consumidor singular. Reconheceu que “o moçambicano (cidadão comum) ainda enfrenta dificuldades para adquirir um carro quilómetro zero, ou seja um carro novo”.

0 comentários: