terça-feira, abril 21, 2015

Os "carrascos" de Emmanuel Sithole



Resultado de imagem para emmanuel sitholeTrês indivíduos foram presos pela Polícia sul-africana, na província de Gauteng, acusados do assassinato brutal do jovem moçambicano Emmanuel Sithole, uma ocorrência havida no último sábado em Alexandra, arredores de Joanesburgo. A detenção aconteceu numa altura em que a Polícia sul-africana já havia oferecido uma recompensa de até R100.000,00 para quem fornecesse informações relevantes que pudessem levar à prisão e condenação dos autores da morte do moçambicano. O trio de suspeitos será presente hoje(21), terça-feira, ao juiz do Tribunal de Alexandra sob a acusação de assassinato. Contudo, as autoridades policiais mantêm o apelo para que se possa deter o quarto suspeito da morte de Emmanuel Sithole, neste momento em parte incerta. A Polícia lançou uma operação de caça ao homem, ao que a comunidade do bairro onde o crime teve lugar respondeu de imediato, apontando os indiciados, que acabaram detidos durante a noite do último domingo. Segundo o coronel Lungelo Dlamini, da Polícia sul-africana, investigações estão em curso com vista a se apurar se a morte de Sithole está ou não relacionada com os actos de xenofobia ou se foi mais um caso de criminalidade. Ao que ajuntou Dlamini, “contamos com a colaboração da comunidade para levar o grupo à barra do tribunal”.
De 35 anos de idade, Emmanuel Sithole perdeu a vida pouco tempo depois de ser esfaqueado por um grupo de fomentadores de actos xenófobos.
Ajudaram na identificação dos supostos criminosos as imagens do fotógrafo do Sunday Times, James Oatway, que reportou toda a cena, antes de socorrer a vítima para o hospital onde viria a perder a vida. Sithole foi depois levado para Alexandra Day Clinic, onde, devido aos graves ferimentos causados pela agressão movida pelo quarteto de atacantes sul-africano acabou perdendo a vida.
O ataque aconteceu às 7.00 horas de sábado e pouco depois das 9.00 horas Sithole foi declarado morto.  O finado era um vendedor ambulante, comercializando cigarros e recargas de telemóvel. Ele teria sido abordado pelos suspeitos, que depois tomaram parte dos seus bens sem pagar. Quando ele procurou exigir o pagamento gerou-se uma confusão e, a partir daí, aqueles partiram para agressão do jovem, que acabou esfaqueado e golpeado por várias vezes.

0 comentários: