quinta-feira, novembro 19, 2015

“O próximo passo é a sua destruição”

Cientistas que procuram uma cura do HIV reivindicam ter descoberto uma droga que consideram como sendo parte crucial de uma estratégia no combate ao virus causador do Sida. A droga, designada de Antabuse, também vendida como um genérico com o nome de disulfiram, tem o poder de “ressuscistar” o virus e destrui-lo, momentos depois.Os pesquisadores dizem que Antabuse foi administrada em 30 seropositivos que vinham recebendo anti-retroviarais, nos Estados Unidos da America e na Austrália. Nestes pacientes, a droga activou o HIV, embora em estado de adormecido.Um estudo publicado, na passada segunda-feira em Melbourne, na Austrália, pelo jornal Lancent, revela que não houve efeitos colaterais.Julian Elliott, do Departamento das Doenças Infecciosas em Melbourne, reivindicou que “ressuscitar” o virus do Sida constitui o primeiro passo para a eliminação da doença.

Resultado de imagem para AntabuseDe acordo com o Programa das Nações Unidas sobre o HIV (UNAIDS), o estado latente do virus em pessoas recebendo anti-retrovirais é o principal obstáculo nos esforços tendentes a busca de uma cura da chamada 'doença do século'.Pesquisadores afirmam que “acordar” o virus escondido em células dormentes e destruí-las depois é uma estratégia-chave, embora até aqui não se consiga fazer uma combinação efectiva das drogas envoldidas no teste.Sharon Lewin, da universidade australiana de Melbourne, referiu que apesar dos cientistas terem dado um passo em frente, ao conseguirem activar o HIV latente, outra preocupação tem a ver com a toxidade das drogas testadas. “Com disulfiram, entretanto, não parece constituir algum problema”, sustentou.“Este teste demonstra que o disulfiram não é tóxico e está fora de perigo”, frisou, acrescentando que “a dosagem de disulfiram foi apenas um estímulo do que um pontapé dado ao virus. Mesmo assim, a droga, administrada em três dias, aumentou o volume do virus no plasma, o que foi um passo encorajador”.

0 comentários: