sexta-feira, julho 07, 2017

Oh Dhlakama,arruma a mala e vai para a cidade

Residentes do posto administrativo de Vunduzi, distrito de Gorongosa, na província central de Sofala, pedem ao líder da Renamo, Afonso Dhlakama e seus homens armados para saírem das matas e se juntarem ao processo de desenvolvimento de Moçambique.
Imagem relacionada
Imagem relacionada
O pedido foi formulado esta quinta-feira, na região de Satungira, arredores da Serra da Gorongosa, a um grupo de jornalistas que escalou aquela região para acompanhar o processo de retirada das Forças Defesa e Segurança (FDS) das posições criadas durante o recente conflito político-militar. A retirada de oito posições militares que cercavam a Serra da Gorongosa é fruto do diálogo entre o Presidente da República, Filipe Nyusi e o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, para a busca de uma paz afectiva em Moçambique.
Um grupo de jornalistas moçambicanos, que durante dois dias escalou a zona da Serra de Gorongosa, testemunhou que todas oito posições militares foram efectivamente desactivadas, restando apenas alguns vestígios da presença deixados pelos elementos das FDS.
Resultado de imagem para dhlakama nas matasImagem relacionadaPor isso, olhando para o actual clima de tranquilidade que se vive em Gorongosa e noutras da região, os residentes de Vunduzi pedem a retirada imediata de Dhlakama e seus homens armados das matas para que a paz efectiva seja uma realidade.
Manuel Bosque, 45 anos, residente em Satungira há mais de duas décadas manifestou a sua preocupação com a presença do líder da Renamo e seus homens nas matas, porque continuam a semear um clima de insegurança para a população. Segundo Bosque, o líder da Renamo deveria sair do local onde se encontra refugiado, juntamente com os seus seguidores, e juntar-se a outros moçambicanos que dia e noite trabalham para desenvolver o país. “O governo está interessado em trazer a paz efectiva. Vemos que depois do anúncio da trégua, muitos militares saíram das posições e regressaram aos quartéis de origem. O mesmo devia acontecer com a Renamo, sair das matas porque só assim é que havemos de acreditar que estamos em paz”, disse a fonte. “Se isso não acontecer continuaremos com medo porque não sabemos o que eles estão a pensar e o que vai acontecer”, acrescentou.
Resultado de imagem para cerco gorongosaResultado de imagem para gorongosa mapaDisse que na presente campanha agrícola a região produziu muita comida. “Conforme estão a ver este ano produzimos cereais, feijões e mandioca. Isso mostra que queremos trabalhar, mas o clima de insegurança é que nos preocupa bastante.
 Ainda sentimos a dor da guerra, por isso não queremos voltar a viver a mesma situação. Pedimos paz para conseguirmos tomar conta dos nossos filhos e produzir para desenvolver nossa zona e o país em geral”.O mesmo sentimento é partilhado por Zerinha Baptista, também residente de Satungira.Baptista defende que o líder da Renamo deveria sair imediatamente das matas.“Dhlakama deve entregar as armas porque nós queremos paz. Enquanto tiver armas vão continuar a ser uma ameaça principalmente para nós que vivemos nesta zona. Os nossos filhos querem estudar e nós queremos produzir mais comida. Isso só será possível se estivermos em paz”, sublinhou Baptista.
Imagem relacionadaEntretanto, o comandante das FDS estacionadas no distrito de Gorongosa, Wendy Wan Bedford, disse que a retirada dos seus homens das oito posições para outras unidades constitui um grande ganho para a população, pois estão criadas condições para que país volte a conhecer uma paz efectiva.
“Vocês viram esta manhã que as posições estão todas abandonadas. No total são oito posições encerradas. Os militares voltaram aos quartéis. Estamos a cumprir as orientações dadas pelo Comandante-em-Chefe das FDS. O que resta é apenas ver qual será a atitude da Renamo para o alcance da paz. Estamos a fazer nossa parte”, afirmou. Explicou que o militares foram transferidos para o quartel de Satungira e outras unidades de origem. “Os militares não saíram para zonas próximas. Isso é mentira. Foram para os quartéis que não estão a ser reivindicados pela Renamo. Estamos a falar de Satungira que não consta do rol das reclamações de Afonso Dhlakama. A Renamo quer a retirada definitiva das posições de instaladas durante os últimos acontecimentos militares terminados em princípios deste anos.Refira-se que as oito posições mencionadas por Dhlakama são Nharirosa, Lourenço, Mapanga-panga, Nhauchegue, Nhamadjiwa, Nhantaca, Mucoza e Satungira, criadas a partir de Maio de 2016 durante a perseguição aos homens armados da Renamo.

0 comentários: