quinta-feira, setembro 15, 2016

Makutu a Njala (DOS OUVIDOS DA FOME)

Anda por aí alguma imprensa sugerindo que o Presidente da República, Filipe Nyusi falhou o encontro com Presidente Obama em virtude da (1-) a sua "natural" fraqueza diplomática e (2-) a actual crise político-económica) que fez o nosso país não-credível aos olhos da comunidade internacional e principalmente dos que odeiam a má-governação e corrupção.Estes, ainda zombam do PR pelo facto de ter sido recebido pelo chefe da diplomacia americana, o Secretário do Estado John Kerry (a redacção do Grupo Soico prefere escrever John KARRY-vi no jornal da noite de hoje).
Ora, para lá da euforia e do pessimismo, julgo primeiro importante perceber o que o Presidente Nyusi foi fazer nos Estado Unidos da América e quais são os principais assuntos que vai tratar lá. Por outro lado, é também importante perceber o que a estas alturas (pre)ocupa o Presidente Obama a nível nacional e internacional.Para tal era preciso dominar o mínimo da agenda dos dois Presidentes, algo que muito poucos podem, principalmente por causa do actual estado pessimista que domina a actualidade nacional.
Primeiro, dizer que o assunto mais importante que leva o PR aos EUA é a Assembleia-geral das Nações Unidas que tem início HOJE, dia 13 de Setembro de 2016 em Nova Iorque.
Resultado de imagem para Nyuse na americaO segundo assunto importante é fazer corredores para, junto das Instituições multilaterais, falar directamente com os "donos do mundo" e actualiza-lo em primeira-mão do actual estágio político e económico e dos esforços levados a cabo até então, depois de o Primeiro-ministro tê-lo feito há meses atrás.Ora, para estes dois assuntos importantes, o Presidente Nyusi acertou-os em cheio; ou seja, conseguiu já um encontro com a Senhora Lagarde e os falcões do Banco Mundial e vai participar na AG das Nações Unidas. À margem destes grandes eventos estão umas cerejas para o Presidente Nyusi que são uma palestra e um evento de gala onde Moçambique será reconhecido pelos esforços que tem feito na conservação da biodiversidade. Gregg Carr, presidente da Fundação WWF ( e dono do Parque Nacional da Gorongosa) é quem vai agraciá-lo.Ora, é sempre importante, útil e estratégico privar com Presidente Obama ou no geral, um presidente americano em solo americano. E é possível que o Presidente Obama tenha declinado tal encontro. É possível. Mas ser recebido pelo Chefe da Diplomacia não é e nunca foi humilhante como alguns querem fazer passar.
Lembrem-se que o Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, na sua primeiríssima viagem presidencial fê-la para Moçambique. E quem lhe recebeu e acompanhou de volta ao Aeroporto foi nada mais que o nosso chefe da Diplomacia, Oldemiro Baloi. Podemos dizer que a recepção de Marcelo foi humilhante ao povo português e a ele próprio? Não, não foi, de modo algum. A estas alturas que vos escrevo, o Presidente Obama está a "fechar" o gap da Hillary Clinton - que está a repousar depois de apanhar pneumonia; está em campanha pelo seu Partido Democrata e pela Hillary Clinton. Nem está em Washington! Ontem esteve em Philadelphia e hoje não sei onde vai dormir. Em Washington é que não.A outra coisa que devem saber é que durante todas as AGs das Nações Unidas o presidente dos EUA recebe uma amostra dos líderes mundiais na Casa-branca; entre 6-8 ou mais, distribuidos por regiões geográficas. Guebuza, Chissano aproveitaram as vezes que coube esta região geográfica. Até Zuma, que nos seus momentos mais turbulentos, foi recebido. É assim. It's a roaster.
Desta vez o nome de Moçambique não calhou. E o Presidente Nyusi não foi conseguiu que Obama conseguisse um tempinho da sua já apertada agenda para um tempo extra para privar com um líder africano. Isto não nos deve envergonhar de forma alguma. E não é por causa da actual situação político-económica. Os EUA têm um bureau inteiro que se informa pontualmente sobre TUDO o que acontece aqui.
Para terminar, e estrategicamente, para além do simples fator de charme e ego pessoal do Presidente Nyusi, Obama já não conta muito para os nossos interesses agora. He's a lame duck, diriam, um pato manco, a sair do campo. Já a estas alturas não pode tomar medidas estratégicas sobre um país. Ou seja, encontrar Obama agora ou depois da reforma faz pouca diferença, na verdade. Pelo que, assumindo que de facto, não foi possível por culpa dos diplomatas nossos ou nossa situação calamitosa, pouca diferença faz de facto.Para concluir, julgo que esta missão do Presidente Nyusi aos EUA é a mais bem-sucedida de todas.
Primeiro porque antecipa a vinda da equipa do FMI a Moçambique e Nyusi aproveita a ocasião para PESSOALMENTE BRIFAR à senhora Lagarde e o Banco Mundial. Que belo timing! Segundo, por ter sido recebido pelo Chefe da Diplomacia americana, John Kerry (Karry, na ortografia da SOICO). Outros presidentes serão recebidos pelos subsecretários regionais.
E em terceiro lugar, pelo facto de poder se encontrar com outros dignitários de alto nível da Europa e América. Nyusi não voltará o mesmo dos EUA, acreditem.

Informação é chave para uma opinião fundamentada.(Dr. Egidio Vaz).

0 comentários: