domingo, setembro 13, 2015

Motorista de Dlakama ferido gravemente


comitiva da Renamo atacada em chimoiocaravana de dhlakama atacada em chimoioA polícia moçambicana negou a autoria da emboscada no sábado contra a caravana do líder da Renamo, Afonso Dhlakama, atribuindo o ataque a um grupo de desconhecidos. "Quem disparou não consigo descortinar", afirmou, em declarações á Lusa, Armando Mude, comandante da Polícia da República de Moçambique (PRM) em Manica, sobre o ataque contra a coluna de viaturas onde seguia o líder da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), principal partido da oposição, no centro do país. "A informação que tenho é da existência às 19:30 de um tiroteio, um pouco depois do cruzamento de Tete. Eu não consigo chegar lá, porque trata-se de uma caravana de homens armados [da Renamo], com um efetivo de cerca de 40 a 50 homens", declarou Armando Mude.Uma caravana em que seguia o líder do maior partido da oposição em Moçambique, Afonso Dhlakama, foi [12 setembro] atacada ao início da noite na província de Manica, centro de Moçambique, havendo cinco feridos, mas o líder da “perdiz” saiu ileso do incidente.O ataque, testemunhado pela Lusa no local, foi dirigido por homens da Unidade de Intervenção Rápida (UIR/FIR) cerca das 19:00 em Chibata, junto do rio Boamalanga, quando a comitiva de Dhlakama regressava de um comício em Macossa e se encaminhava para Chimoio, capital de Manica, centro do país.Os militares da Renamo responderam aos tiros e entraram no mato em perseguição dos homens da UIR, enquanto o resto da comitiva, incluindo Dhlakama, permaneceu no local.O carro do presidente da Renamo não foi atingido, mas o motorista de um dos veículos da caravana ficou ferido com gravidade.Um militar da Renamo avançou à Lusa a existência de outros quatro feridos entre os homens da UIR.A comitiva retomou a sua marcha cerca das 20:30 em direção a Chimoio, onde é esperada uma declaração de Dhlakama sobre o incidente.

0 comentários: