sexta-feira, julho 11, 2014

Boa nova: troço Gurué /Cuamba asfaltado

O governo dispõe de quatro biliões e meio de meticais para a colocação de asfalto na estrada que estabelece a comunicação rodoviária entre o distrito de Guruè, na Zambézia, e a cidade de Lichinga, na província do Niassa.As obras de asfaltagem, segundo o director provincial das Obras Públicas e Habitação da Zambézia, Américo Chivale, terão início ainda este ano e serão concluídas em 2016, esperando-se uma melhoria significativa na circulação de pessoas e bens de uma província para outra, sem os actuais constrangimentos de intransitabilidade temporária no período chuvoso.Américo Chivale, que falava há dias por ocasião da visita que o governador da Zambézia, Joaquim Veríssimo, efectuou aquela direcção e instituições subordinadas, afirmou que neste momento decorrem trabalhos de asfaltagem entre a cidade de Guruè e a zona de Magigi, numa extensão de 35 quilómetros. Aquele responsável disse também que para além dos troços cidade de Guruè–Magigi e Lioma–Lichinga estão em construção treze pontes no troço Guruè–Cuamba com o financiamento do Governo japonês, avaliado em mais de 160 milhões de dólares norte-americanos.
Sabe-se que as obras consistem na ampliação das pontes e maior parte delas encontram-se na província da Zambézia. “As pontes apresentam uma largura menor que a estrada terraplanada, o esforço em curso visa alargar a largura para facilitar a melhor circulação de viaturas”, disse Américo Chivale para quem as obras de construção das pontes iniciaram em Janeiro deste ano e neste momento estão numa fase bastante avançada, tendo como empreiteiro o consórcio japonês KONOIKE/DAHIQ.Dados  apontam que das 13 pontes, 11 estão no território da província da Zambézia, sendo um dos maiores beneficiários deste investimento. O troço Magigi–Cuamba é terraplanado e o trânsito de viaturas faz-se com imensas dificuldades, principalmente no período chuvoso em que, vezes sem conta, o trânsito rodoviário é interrompido, tendo como outras consequências, a rotura no abastecimento em produtos de primeira necessidade nas duas províncias.
O governador da Zambézia disse, na ocasião, que o seu executivo continuará a prestar maior atenção ao sector de estradas e de água para providenciar serviços que melhorem a qualidade de vida da população. Joaquim Veríssimo realçou que o Governo continua a mobilizar recursos financeiros e materiais para a prossecução de vários desafios no sector das Obras Públicas, nomeadamente estradas e água, principalmente nas zonas rurais onde vive 80 por cento dos 4.5 milhões de habitantes da província da Zambézia, sendo que os produtores agrícolas precisam de vias de comunicação em condições para escoar os seus excedentes agrícolas.Entretanto, a província da Zambézia apresenta a maior extensão da rede viária do país. Dados  indicam que a extensão da rede viária que a província possui é de 5144 quilómetros de estradas, dos quais 830 são asfaltados e transitáveis sem problemas maiores, enquanto 3195 têm uma transitabilidade razoável, sendo que 608 estão em mau estado e 196 encontram-se em estado péssimo de transitabilidade.Entretanto, a estrada Quelimane–Namacurra apresenta actualmente muitos buracos o que dificulta o trânsito de viaturas. O mesmo acontece em relação ao troço Nicoadala–rio Zambeze. Durante a visita que o governador da Zambézia fez à Direcção Provincial das Obras Públicas e Habitação nada foi dito em relação aqueles dois troços.(N. MÁXIMO)

0 comentários: